A busca pela quebra do limitador e a equiparação de níveis

Representantes da ATJ estiveram reunidos na tarde desta segunda-feira (14/03) com o Presidente do Tribunal de Justiça, Des. João Henrique Blasi, bem assim, com o juiz Assessor, Dr. Rafael Sandi.
Na pauta, os encaminhamentos da categoria, especialmente a busca pela equiparação de nível, com a respectiva quebra do limitador, que hoje é o grande empecilho para adentrar nos valores de nível superior.
Nesse ponto, o Presidente da ATJ, Laércio R. Bianchi detalhou todo o plano através de apresentação de Power Point, demostrando graficamente onde se encontra o gargalo, bem assim, a solução, através da mudança no artigo 14 da LC 90/93.


A proposta foi bem aceita, tendo o Presidente do Tribunal dado razão à ATJ quanto a necessidade de quebra do limitador e será objeto de analise e repercussão, podendo amenizar as possíveis perdas da VPNI, mesmo com as compensações que poderão advir de possível acordo em relação à URV.
A direção da ATJ participará de novos encontros sobre esse assunto que é de interesse, especialmente dos TJAs.
Outros assuntos abordados foram em relação a chamada de novos servidores para preencher parte do quadro de servidores que está defasado e os processos administrativos abertos em desfavor de alguns servidores em relação à vacina, que a partir de hoje começa a ser resolvido.
Nesta terça-feira os membros da ATJ participarão de nova reunião, dessa vez em conjunto com o Sindojus e outras associações.
Estiveram presente nesta data, a servidora Lenita Peres e os servidores Antônio Carlos Filomeno Machado, Valdevino Ramos Fontes e Laércio Raimundo Bianchi.

16 comentários em “A busca pela quebra do limitador e a equiparação de níveis”

  1. A ATJ mais atrapalha que ajuda!!!. Só não conquistamos mais vitórias porque sempre atravessam as negociações do SINJUSC e o TJ se aproveita disso para não decidir nada! Chega de atrapalhar ATJ!

  2. Como e quando será feita a mudança do art. 14 ? Para se chegar ao nível superior dos vencimentos há necessidade de projeto e aprovação da Alesc ?

    1. Por se tratar de Lei Complementar, há a necessidade de passar pela ALESC, mas essa Lei já teve várias alterações que passaram de forma tranquila naquela casa legislativa.

  3. Luiz Figueiró Varela

    Luiz
    Esse tal de limitador foi criado com o intuito de cortar o salário do servidor, pois quando chega no limite o servidor não pode ultrapassar e fica ganhando somente até aquele teto. Eu, por exemplo, fui estudar aos 48 anos de idade com a intenção de melhorar o meu salário, visto que prometiam 20% a mais sobre o salário-base, para quem tivesse nível superior. Sabem quanto estou ganhando de gratificação de nível superior? R$ 15,20 (Quinze Reais e Vinte Centavos) é isso mesmo R$ 15,20. E aí eu pergunto: Valeu a pena ir estudar aos 48 anos para ganhar isso de gratificação? Kuá, kuá, kuá. Tem que rir para não chorar!

    1. Tens razão, por isso mostramos em forma de gráfico essa realidade, onde o Presidente do TJ nos deu razão quanto a necessidade de quebrar esse limitador.

  4. Acho justa a luta da ATJ quanto ao tema quebra de limitador porém precisamos de uma projeção de implementação, pois só se fala anos a fio de estudo, estamos estudando com a DOF a forma de implementação e etc. Isso desanima demais o servidor que passa a não acreditar mais em nada.

  5. A ATJ deveria lutar pela quebra do limitar nos termos já autorizado pelo TJ, conforme aquele projeto de lei que foi descartado na maldita assembleia do Sinjusc, com intuito de os valores serem usados no PCS que nunca saiu do papel.

    Caso se busca uma transposição de nível para todas as classes, será algo muito mais difícil de ser aceito pelo TJ.

    1. Laércio Bianchi

      Prezado Felipe, o projeto apresentado segue esse um padrão semelhante, mesmo que a equiparação siga de uma maneira gradativa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.