Data-base – Índice

Saiu nesta data (11) o indice do IPCA de abril (1,06%).

O acumulado de janeiro a abril deste ano totaliza o percentual de 4,29 %(quatro virgula vinte e nove)

Na ultima audiência com a AESC o Presidente Blasi afirmou que cumprirá rigorosamente a data-base de 2022.

Assim, o indice de 4,29% sera incorporado aos nossos vencimentos e pagos em folha suplementar deste mês de maio/22.

 

13 comentários em “Data-base – Índice”

    1. Laércio Bianchi

      A gestão dos sem paridade está a cargo do Tribunal, por isso vamos aguardar o entendimento da adminsitração nesse item.

  1. PARABÉNS!! Agora só falta a volta dos triêniosa na folha, URV, todos os atrasados(data base e triênio), quebra do limitador e ……..

    1. Laércio Bianchi

      Prezado, esse mês as decisões começam a sair e assim é possível destravar as demais demandas pendentes, a exemplo da VPNI que já tem decisão.

    1. Laércio Bianchi

      Prezado Ricardo, a previsão do TJ é resolver essa questão ainda esse mês, a fim de destravar outras demandas que dependem dessa decisão.

    1. Laércio Bianchi

      Prezado Cléber, administrativamente não temos nada ainda, mas há uma demanda judicial questionando a Legislação federal que travou os reajustes na época da pandemia.

  2. A atjsc tem que aproveitar o projeto em andamento no TJ para elevar o nível superior dos TJAS e apoiar mesmo porque não precisa quebrar o limitador como feito pelos oficiais de justiça

    1. Laércio Bianchi

      Os Oficiais de Justiça fizeram a transição via VPNI, mas dificilmente no cenário atual seria possível uma equiparação sem a quebra do limitador, face aos entendimentos de que haveria burla de concurso, a menos que se extinguisse o cargo e se criasse um cargo novo, inclusive essa é uma das propostas que já foram encaminhadas.

  3. Bom dia Laércio! É verdade que com a VPNI sendo mantida já era recurso pra pagar a URV!? Por favor nos esclareça. O sindicato não fala mais nada sobre isso. Só manda postar fofinho. Obrigado.

    1. Laércio Bianchi

      Boa tarde, José!
      A ATJ, assim como outras associações não interferem na URV justamente porque se trata de demanda do sindicato. No entanto, o que sabemos é que a concessão da URV se daria justamente para resolver parte das perdas que ocorreriam com a VPNI. Assim, considerando que essa questão estaria resolvido com o entendimento da Decadência, acreditamos que o TJ até possa conceder algum percentual a esse título (URV), mas não vemos possibilidade de se pagar qualquer atrasado pendente. Entre 2014 e 2015 a URV foi amplamente analisada e a conclusão que se chegou na época é que teríamos direito às diferenças por três meses, posto que nos reajustes seguintes a administração compensou as diferenças.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.