Porque a síndrome de burnout é considerada uma doença?

Porque a síndrome de burnout é considerada uma doença?

A Síndrome de Burnout é enquadrada como uma doença ocupacional, representando um estado físico, emocional e mental de exaustão extrema. Portanto, a realidade de seu portador é sofrida.

Assim, essa doença é causada pelo acúmulo excessivo em situações de trabalho que são emocionalmente exigentes e/ou estressantes, e que demandam muita competitividade ou responsabilidade.

Portanto, a principal causa da doença, conhecida também como “Síndrome do Esgotamento Profissional”, é justamente o excesso de trabalho.

O sintoma típico da síndrome de burnout é a sensação de esgotamento físico e emocional que se reflete em outros sintomas, como:

  • Ausências no trabalho;
  • Agressividade;
  • Isolamento;
  • Mudanças bruscas de humor;
  • Irritabilidade;
  • Dificuldade de concentração;
  • Lapsos de memória
  • Ansiedade;
  • Depressão;
  • Pessimismo;
  • Baixa autoestima.

Dessa forma, a Síndrome de Burnout é classificada como uma doença ocupacional, por ter relação com o ambiente de trabalho, necessitando assim de uma abordagem médica e acompanhamento psicológico. Se você sente três ou mais dos sintomas acima busque ajuda qualificada.

LIRDIA ROSANE BAISCH MEIRA,MS

PSICÓLOGA CRP 12.07516

Quer saber mais sobre esse tema?

Agente uma consulta on-line com nossa psicóloga.

Todas às terças pela manhã são disponibilizadas duas sessões gratuitas de uma hora.

Agende a sua pelo WhatsApp (49) 9 9814-3781 com Mariana

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.